Por Raphael Oliveira

E a pandemia continua robusta pelo país e sem sinal de que vai nos deixar nos próximos meses. Atualmente, cerca de 11% da população brasileira já teve contato com a doença e seguimos com a esperança da vacina que, com uma dose de otimismo, deve chegar para mais 15% da população, a partir de dezembro, segundo previsões da Fiocruz.  O cenário é de portas fechadas, ameaça de redução na produção e queda brusca das vendas, esses, alguns dos principais sintomas do Corona vírus na economia.

Mas, o avanço do COVID-19 não pode nos parar, precisamos ir nos adequando, superando os desafios e seguir em frente.  E sim, é possível ter sucesso mesmo diante de todas as ameaças e incertezas de nosso cotidiano. Momento de realizar diagnósticos e traçar ações estratégicas para aumentar a performance dos negócios e adaptar as novas condições que nos sãos postas.

Exemplos disso, são os resultados positivos alcançados pela nossa empresa com o grupo Argalit. Mesmo com o Corona vírus rondando, as vendas foram maiores neste semestre, quando comparadas ao mesmo período do ano passado.  Também aconteceu com o grupo Vila Alimentos, que bateu recorde de faturamento, na realidade o maior na história da empresa. Muito orgulho de fazer parte desses projetos, frutos de muita dedicação e competência de todos os envolvidos no processo.

Em nível mundial, a crise sanitária também não afetou alguns gigantes do setor de tecnologia, varejo online e farmacêutico, muito pelo contrário. Nestes casos, a adoção do home office e os canais de e-commerce contribuíram muito. A Revista Época divulgou as que mais cresceram neste período, coloquei entre parênteses o valor da valorização:

Amazon, gigante varejista (R$ 2 trilhões), com a mudança acelerada para as compras online e a crescente importância de seus produtos e os negócios de computação em nuvem na era do trabalho remoto.

Microsoft (R$ 1,4 trilhão), com o aumento no número de usuários do aplicativo de videoconferência Teams.

Apple (valorização de R$ 1,1 trilhão), com as receitas das vendas online.

Tesla (R$ 567 bilhões), a empresa automotiva de armazenamento de energia norte-americana, com o lançamento do mais recente modelo S.

Tencent (R$ 486 bilhões), conglomerado chinês de mídia e telecomunicações, com receitas do aumento dos jogos online, assinantes de vídeo e streamers de música.

Inclusive, estas empresas ficaram à frente do Facebook, que cresceu R$ 448 bilhões com publicidade, usuários com mais tempo online na plataforma e novos recursos, como videoconferência e o Facebook Shops.

Mas, principalmente e antes de tudo, o que explica estes índices favoráveis, o que tornou possível os resultados positivos? É ótima gestão!

Na grande maioria das vezes, empreendedores e empregados não conseguem gerir com êxito seus negócios, precisam de ajuda, e um consultor é essencial para isso. O investimento em um consultor em gestão pode ser a diferença entre a falência da empresa e o aumento da valorização e o lucro.  Não é um gasto para a empresa, muito pelo contrário, é um investimento fundamental.

É aquele profissional que está de fora da empresa, com uma visão diferente e que acompanha as oscilações do mercado voltado para aprimorar serviços, fluxos, levando a redução de custos e, ao final, ganho de produtividade.

E vamos em frente! Dará tudo certo e sairemos dessa ainda melhores!

 

Raphael Oliveira é consultor de gestão, formado em Administração de Empresas e Sistemas de Informações pela UEM – Universidade Estadual de Maringá/PR. MBA em Gestão de Projetos; e Finanças pela FGV/SP. É diretor da Northcomm Consultoria em Gestão Estratégica e membro do Conselho Gestor do SindiplastES – Sindicato das Indústrias Plásticas do Espírito Santo.