Já notou que quando você mais precisa encontrar uma solução criativa, parece que nada vem à cabeça? Algumas pessoas ainda chegam a dizer que foram criativas quando eram jovens, porém não são mais, ou então afirmam que criatividade é coisa para quem tem a cabeça desocupada.

Se eu te disser que hoje, a criatividade é uma das habilidades de liderança que mais necessitamos em nossas empresas? E em uma escala de 0 a 10, que nota você se daria para as inovações que foram geradas em sua empresa nos últimos 6 meses?

Hummm, inovação e criatividade são assuntos diferentes para você? Certo. Eu entendo. Será que encontramos uma correlação entre algumas características fundamentais a termos em nossas empresas que vão gerar inovações?

Antes disso, permita-me somente comparar um dado. Você sabia que o Brasil é um dos últimos no ranking de registro de patentes no mundo? Estranho isso, quando somos reconhecidos mundialmente por nossa criatividade e pelo famoso jeitinho que damos nas questões mais complicadas, principalmente quando o assunto está relacionado às legislações.

Para uma inovação acontecer, algumas etapas são importantes:

  • observação analítica: permite o entendimento da realidade que está acontecendo.
  • curiosidade: nos faz perguntar porque as coisas estão como estão.
  • capacidade de abstração: viabiliza utilizarmos experiências vividas em situações distintas para fazer comparações
  • criatividade: faz a liga entre as informações coletadas até o momento.
  • necessidade: que existe ou que seja conhecida para gerar algo útil.
  • a oportunidade: acontece para que se consolide como ganho ou proteção empresarial, com o registro da patente.
  • inovação: E quando encontramos a forma de fazer, temos uma inovação

Então já temos um caminho para gerar inovações em nossas empresas, que parece simples, e começa realmente simples, com a capacidade de observar a realidade sem julgamentos, apenas para entender os fatos que nos são apresentados todos os dias e que muitas vezes sequer sabemos que acontecem.

E se você quiser fazer diferente, entenda que dentro da sua empresa há décadas de conhecimento gerado ali mesmo e com as experiências vividas por sua equipe, que podem ser acessados a favor da empresa a qualquer momento, desde que se faça de forma orientada, respeitosa e prática. Como? Vou listar alguns passos de que devem ser executados na sequência:

  1. Entenda e defina claramente e detalhadamente qual o problema precisa resolver. Escreva de forma precisa. Use os dados coletados.
  2. Pergunte à sua equipe, o que ocasionou esse problema e simplesmente anote as respostas que vierem. E em hipótese nenhuma deve-se criticar as propositivas feitas.
  3. Pergunte à sua equipe, quais soluções eles conseguem vislumbrar e, mais uma vez, somente anote as respostas.
  4. Em seguida, abra um debate franco sobre possíveis soluções viáveis.
  5. E, finalmente, agradeça a todos por permitirem que suas experiências ajudassem a resolver uma questão interna.

O líder que não usa o conhecimento da equipe para solucionar problemas ou gerar inovações é um líder menor. Não faz a empresa aprender. O poder de inovação é o combustível que mantém as empresas vivas ao longo tempo e competitivas. Portanto, ter processos de inovação instaurados é uma questão vital para os negócios.

Juliana Costa é engenheira de produção, especialista em gerenciamento de projetos, administração estratégica e também em marketing.